Motivação Discente E Abandono Acadêmico

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Tárcia Rita Davoglio
Carla da Conceição Lettnin
Bettina Steren Dos Santos
Enviado: Apr 27, 2017
Publicado: Nov 10, 2016

Resumen

No contexto educacional a motivação tem papel fundamental pela sua importância para a aprendizagem, a permanência e a continuidade dos estudos. A Self-Determination Theory postula que o comportamento pode ser motivado intrinsecamente, motivado extrinsecamente ou amotivado. Para avaliar esse processo motivacional dos estudantes em relação à Educação Superior muitos estudos ao redor do mundo utilizam a Escala de Motivação Acadêmica (EMA). A EMA consiste em um instrumento multifatorial que avalia três diferentes tipos de motivação intrínseca (MI), isto é, a forma mais autônoma ou autodeterminada da motivação na qual a pessoa se engaja em uma atividade pelo prazer decorrente de aprender, explorar ou compreender algo novo. Avalia também a motivação extrínseca (ME), que se baseia na obtenção de recompensas ou resultados, diferenciando-a do menor para o maior nível de autodeterminação. A amotivação (AMO) também pode ser avaliada pela EMA e implica na ausência de percepção pelo indivíduo de associações entre seus interesses e as ações praticadas. Assim, este estudo teve por objetivo comparar os processos motivacionais investigados por meio da EMA entre dois grupos de estudantes universitários sul-brasileiros (n=746): os estudantes que intencionaram (31,4%) e os estudantes que não intencionaram (68,6%) abandonar o curso de graduação frequentado. Os dados foram coletados de forma coletiva por meio da versão brasileira da EMA, composta por 28 afirmativas que respondem a questão “Por que venho à Universidade?”. Para as análises de comparação entre grupos utilizou-se o teste t, a fim de verificar a diferença entre as médias. Os resultados evidenciaram diferenças estatisticamente significativas para os três fatores que representam a MI, para o fator que representa a motivação extrínseca por identificação e para o fator que representa a amotivação (AMO), apontando que o grupo de estudantes que não tinha a intenção de abandonar o curso universitário tem índices mais altos de MI e mais baixos de amotivação. Estes resultados atestam e reforçam a importância dos processos motivacionais intrínsecos para a continuidade da vida acadêmica. Além disso, estudos que exploram os processos motivacionais podem servir de norteadores para diversas ações e políticas que visem enfrentar ou reduzir o abandono acadêmico.

Palabras clave

Abandono, Motivação, Estudantes, Avaliação, Escala

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Cómo citar
Davoglio, T., Lettnin, C., & Dos Santos, B. (2016). Motivação Discente E Abandono Acadêmico. Congresos CLABES. Recuperado a partir de http://revistas.utp.ac.pa/index.php/clabes/article/view/1344